Textos







Da Fama


Eliane Triska


Concedo à poesia um lugar nobre
Nas nascentes dos ventos lacrimais.
Alma que invento sem que alguém me cobre,
Tornar-me ou não, notícia de jornais.


Há muito, muito mais onde me habito.
Doloridos fragmentos... Rios de seixos
Que me arrebatam! Mudo e me replico.
Aí, ninguém me alcança. Eu não deixo!


Ao perguntar-me (ah! profundo oceano),
Quem me defende deste tempo curto?
Eu sei que sou um mundo... Nada plano!


E da reserva em ver-me inteira um astro,
Escrevo à sombra dos silêncios que eu furto,
Do tempo que me veste: o meu claustro!



julho de 2018/RS




 
Eliane Triska
Enviado por Eliane Triska em 05/07/2018
Alterado em 05/07/2018

Música: LUNES-~1 - Desconhecido

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários